Back Rondônia Polícia Associação denuncia capitão por perseguição a PMs na capital

Associação denuncia capitão por perseguição a PMs na capital

  • PDF

PORTO VELHO - Em audiência com o secretário de segurança pública do Estado, Marcelo Bessa e o comandante Geral da Policia Militar de Rondônia, coronel PM César, a Associação dos Familiares dos Praças da Policia Militar do Estado de Rondônia (ASSFAPOM), solicitou que um capitão da seja transferido para outra unidade. O motivo, segundo o presidente da entidade, PM Jesuíno Boabaid, são inúmeras queixas de perseguições do capitão contra policiais. . De acordo com Jesuíno, nenhuma medida foi tomada pelas autoridades. “Mais uma vez, em reunião com o governador Confúcio Moura (PMDB), na próxima segunda-feira (18/04) a associação buscará providências urgentes, pois da maneira que está, algo pior poderá acontecer”, disse ele, lembrando que o movimento pela paralisação da PM deve reunir centenas de policias na segunda, para deliberar sobre a suspensão dos serviços em 72 horas.
Ainda sobre as denúncias de perseguição do capitão PM, o presidente da ASSFAPOM narra, no site da instituição, como um policial foi seguido por oficiais na noite de quinta-feira (14/04), sendo que um deles teria a sua disposição uma viatura com dois policias fazendo guarda particular em sua casa à custa do Estado. Veja abaixo.
Na noite da última quinta - feira (14/04), o policial militar Fernando Albino do Nascimento, lotado no 1º BPM, foi perseguido pelas ruas de Porto Velho por dois oficias da PM/RO, após sair da Faculdade ULBRA.
O soldado percebeu que estava sendo seguido, por um veículo particular, marca VW, Polo sedam de cor prata, nas proximidades da rua Brasília. Por várias vezes teve que parar e entrar em diversas ruas, para ter a certeza de que o fato estava acontecendo.
Ele sacou sua arma e a colocou do lado do banco, para se proteger. Com receio de parar, seguiu diretamente para a residência de um conhecido e, no momento que estacionou, logo fora abordado pelos oficiais.
Ao reconhecer os perseguidores, o PM Albino indagou qual o motivo da perseguição. Um dos oficiais desconversou e tentou sair do local, momento em que o soldado também reconheceu outro capitão que dirigia o veículo. Em seguida, três viaturas chegaram até o local para abordagem.
Após questionamentos do soldado, sobre atitudes dos oficiais, um capitão informou que vinha sofrendo ameaças, e como o ele passou pela rua de sua casa, ele desconfiou de sua presença.
O soldado perseguido dirigiu-se ao 1º BPM e solicitou ao Subcomandante Major PM Pizzutti que apure a conduta do capitão ter-lhe causado constrangimento, coação e ameaça. Mas, o Major refutou dizendo que só iria apurar o fato se a ordem viesse de um superior.
Diante da situação, o Soldado procurou a 20ª Promotoria de Justiça, onde prestou termo de declaração, relatando os fatos acima, delatando que o capitão possui uma viatura exclusiva para segurança de sua residência, com dois policiais a sua disposição, pelo período noturno, todos custeados pelo Estado.

ASSESSORIA/ASSFAPOM

  • 403 Forbidden
  • 403 Forbidden


  • nginx/1.6.3