Back Rondônia Polícia Associação denuncia capitão por perseguição a PMs na capital

Associação denuncia capitão por perseguição a PMs na capital

  • PDF

PORTO VELHO - Em audiência com o secretário de segurança pública do Estado, Marcelo Bessa e o comandante Geral da Policia Militar de Rondônia, coronel PM César, a Associação dos Familiares dos Praças da Policia Militar do Estado de Rondônia (ASSFAPOM), solicitou que um capitão da seja transferido para outra unidade. O motivo, segundo o presidente da entidade, PM Jesuíno Boabaid, são inúmeras queixas de perseguições do capitão contra policiais. De acordo com Jesuíno, nenhuma medida foi tomada pelas autoridades. “Mais uma vez, em reunião com o governador Confúcio Moura (PMDB), na próxima segunda-feira (18/04) a associação buscará providências urgentes, pois da maneira que está, algo pior poderá acontecer”, disse ele, lembrando que o movimento pela paralisação da PM deve reunir centenas de policias na segunda, para deliberar sobre a suspensão dos serviços em 72 horas.
Ainda sobre as denúncias de perseguição do capitão PM, o presidente da ASSFAPOM narra, no site da instituição, como um policial foi seguido por oficiais na noite de quinta-feira (14/04), sendo que um deles teria a sua disposição uma viatura com dois policias fazendo guarda particular em sua casa à custa do Estado. Veja abaixo.
Na noite da última quinta - feira (14/04), o policial militar Fernando Albino do Nascimento, lotado no 1º BPM, foi perseguido pelas ruas de Porto Velho por dois oficias da PM/RO, após sair da Faculdade ULBRA.
O soldado percebeu que estava sendo seguido, por um veículo particular, marca VW, Polo sedam de cor prata, nas proximidades da rua Brasília. Por várias vezes teve que parar e entrar em diversas ruas, para ter a certeza de que o fato estava acontecendo.
Ele sacou sua arma e a colocou do lado do banco, para se proteger. Com receio de parar, seguiu diretamente para a residência de um conhecido e, no momento que estacionou, logo fora abordado pelos oficiais.
Ao reconhecer os perseguidores, o PM Albino indagou qual o motivo da perseguição. Um dos oficiais desconversou e tentou sair do local, momento em que o soldado também reconheceu outro capitão que dirigia o veículo. Em seguida, três viaturas chegaram até o local para abordagem.
Após questionamentos do soldado, sobre atitudes dos oficiais, um capitão informou que vinha sofrendo ameaças, e como o ele passou pela rua de sua casa, ele desconfiou de sua presença.
O soldado perseguido dirigiu-se ao 1º BPM e solicitou ao Subcomandante Major PM Pizzutti que apure a conduta do capitão ter-lhe causado constrangimento, coação e ameaça. Mas, o Major refutou dizendo que só iria apurar o fato se a ordem viesse de um superior.
Diante da situação, o Soldado procurou a 20ª Promotoria de Justiça, onde prestou termo de declaração, relatando os fatos acima, delatando que o capitão possui uma viatura exclusiva para segurança de sua residência, com dois policiais a sua disposição, pelo período noturno, todos custeados pelo Estado.

ASSESSORIA/ASSFAPOM